Eu não posso mais ser esquisito
a sociedade é um passarinho
que não sabe cantar

Me condenam porque ando torto
de all star e bira no bolso
mas querem me imitar

Pensem nas crianças que morreram essa semana
e vocês tranqüilos
pois mensalões vão ganhar

Temo que a morte é mentira
não me acorde estou partindo
e não penso em voltar


Já não ando mais bebendo tanto
beijo uns ralos de vez em quando
pois não quero chorar

Onde há maldade, há tristeza
vê se enchergue a safadeza
senão vão te pisar

Võe no infinito
se o céu é o paraíso
porque ninguém nunca voltou pra contar?

Composição: Karmann