Página Virada


É chegada a hora
De fazer a mala
E partir sem direção por aí...
Levarei apenas na bagagem
A tua imagem
Que já faz parte de uma página virada
Sempre enfrentei rajada de morteiros
Motejadores a sucumbirem o meu ser
Nunca me importei com os libelos
E já não espero
Que você ainda me queira bem
Agora à sombra de uma árvore
Vou descansar e refletir
No ontem que não volta mais
Virou saudade...
Com a falta que hoje você me faz
A dor
Queima no peito como lava de um vulcão
Temor
É ter que encarar o próprio medo da solidão
O amor
Não deixarei jamais morrer no coração
Perdão
Peço desculpas beijando as tuas mãos.

Composição: Otávio Du Valle