views 30

Embaixo da Cama

Vaia


Tantos ares, tantos males, tantos pares novos de
Sapato
Tanta fome, tanta sede, tanta roça para capinar
Onde estão minhas malas? onde estão?
Amanhã pela manhã eu irei cruzar aquela porta

Posso mudar o tom
E assim
Tentar te agradar

Quantos mantos, quantos prantos, quantos cantos para
Me abrigar
Quanto ferro, quanto fogo, quantos anos ainda estão
Por vir
Onde estão minhas malas? onde estão?
Como é de praxe estou à mercê dos meus desatinos

Posso manter o tom
E assim
Tentar te agradar

Quem me dera fosse de aço
Esse corpo que me abriga
Só pra ser imune
Aos teus golpes traiçoeiros
Há um preço alto a se pagar
Pela sua companhia
Já estou ficando farto
De tanta mentira

Tantos meios, tantas teias, tantas veias abertas a
Sangrar
Quantos lados, quantos quadros, quantos dados para se
Lançar

Posso esquecer o tom
E assim
Aprender a errar

Muitos tantos
Tantos quantos
Quanots tantos
Vários quantos

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Francisco Mendes / Rodrigo Nobre. Isn't this right? Let us know.