views 50

Desengano

Zeca Baleiro


Toda vez que olho o desengano
Nas frases do canto fosco dessa juventude
Vejo meu sorriso magro
Meu corpo suado se encarquilhar
E quando franzo a testa
E sério suo o rosto cor de madrugada
E quando me deprimo e curvo os ombros pra pensar
Penso nos martírios
Todos os delírios loucos que vivenciamos
E vejo por quanto anos nos aventuramos querendo voar
Voar pra sair de perto
De todo deserto desses abandonos
E constatando o desengano se despedaçar
Desfeito em pedaços
Sigo no encalço desse sonho
Vejo meu sorriso magro
Coração amargo se atrapalhar
Quando franzo a testa
E sério suo o rosto cor de madrugada
Quando abro os olhos, olhos claros para o mar

Penso nos martírios
Todos os delírios loucos que vivenciamos
E vejo por quanto anos nos aventuramos querendo voar
Voar pra sair de perto
De todo deserto desses abandonos
E constatando o desengano se despedaçar
Desfeito em pedaços
Sigo no encalço desse sonho
Vejo meu sorriso magro
Coração amargo se atrapalhar
Quando franzo a testa
E sério suo o rosto cor de madrugada
Quando abro os olhos, olhos claros para o mar

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Lula Côrtes / Tito Livio. Isn't this right? Let us know.
Sent by Assuero. Subtitled by Kelly. Revised by 3 people . Did you see an error? Send us your revision.