Tardes silenciosas de Lindóia
Quando o sol morre tristonho
Tardes em que toda a natureza
Veste-se de um véu de sonho

Baixo os arvoredos murmurantes
Da tênue brisa ao soprar
Querido dos sonhos meus
Não sabes tu como é sublime contigo sonhar

Lá, no horizonte calmo
As nuvens se incendeiam
Num incêndio de luz
Vibra, se exalta minha alma
Na sensação que a seduz

Um plangente o sino toca
Chamando à prece todos
Os que ainda sabem crer

Então sonho e creio
Beijar tua linda boca
Para acalmar o meu sofrer

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Pinto Martins / Zequinha de Abreu. Isn't this right? Let us know.