Chegou o Bloco da Saudade
Um mar
Azul, branco e encarnado
De vozes, brilho
Todo iluminado
Entoando "Valores do Passado"
Mas nas ruas em que passa com alegria
De um certo amigo
O bloco não esquece
Traz no rosto o carinho estampado
Seu jeito manso sempre acontece

Moço, vem ver sua Diva
Girando com o abre-alas na mão
Na rua da Imperatriz
Onde sempre quis
Você era feliz
Lúcio, dos cabelos brancos
Campos, de sonhos de luz
Veja o seu bloco em saudade
Sorrir na cidade
Prá você cantar:
"Cantar! oh! Cantar!"

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Claudio Almeida / Humberto Vieira. Isn't this right? Let us know.