Biografia do Fado

Carlos Ramos

vistas 542

Perguntam-me p'lo Fado
Eu conheci-o
Era um ébrio, era um vadio
Que andava na Mouraria
Talvez 'inda mais magro que um cão galgo
E a dizer que era fidalgo
Por andar com a fidalguia

O pai era um enjeitado
Que até andou embarcado
Nas caravelas do Gama
Um mal andrajado e sujo
Mais jingão do que um marujo
Dos velhos becos de Alfama

Pois eu
Sei bem onde ele nasceu
Que não passou de um plebeu
Sempre a puxar p'ra vaidade
Sei mais
Sei que o Fado é um dos tais
Que não conheceu os pais
Nem tem certidão de idade

Perguntam-me por ele
Eu conheci-o
Num perfeito desvario
Sempre amigo da balbúrdia
Entrava na Moirama a horas mortas
Ia abrir as meias portas
Era o rei daquela estúrdia

Foi às esperas de gado
Foi cavaleiro afamado
Era o delírio no entrudo
Naquela vida agitada
Ele que veio do nada
Não tendo nada era tudo

Pois eu
Sei bem onde ele nasceu
Que não passou de um plebeu
Sempre a puxar p'ra vaidade
Sei mais
Sei que o Fado é um dos tais
Que não conheceu os pais
Nem tem certidão de idade

Sei mais
Sei que o Fado é um dos tais
Que não conheceu os pais
Nem tem certidão de idade