Antes
Do eleitorado
Antes
Do eleitorado
As avenidas, as favelas, os nossos musseques e os cemitérios
Ganham uma clonagem do jardim do Éden
As nossas fomes com a idade da idade que temos
Somem ao grito de um viva!
E tão cegamente aceites aos que acreditam em contos de fadas dos políticos obesos

Antes do eleitorado
As escolas multiplicam-se
Os hospitais manifestam um excesso de qualidade
As manchetes dos jornais refletem momentos de glórias e cobertas de esperanças
Antes do eleitorado!
O país torna-se num quintal por onde projeta-se a edificação da nova catedral
Um lugar por onde Cristo escolheria pregar o evangelho
De São João aos Coríntios

Antes do eleitorado
A taxa de desemprego é menos sonante
O ruído do desemprego é silenciado por uma promessa de 500. 000 empregos
E por uma máfia designada com às três cores da república

Antes
Do eleitorado
Sou desejado, sou tão especial, sou mais cidadão, sou lembrado
Sou aquela donzela do político aos finais de semana
Sou a cobaia eleitoral para se descobrir novas fórmulas de políticas obesas
Sou o doce para a boca de uma criança, sou o remédio para a febre da competição política
A bola para o futebol dos políticos
Sou aquele vinho preparado às madrugadas para um dia assolado
As uvas recolhidas do chão de uma manhã cinzenta e nublada
Caídas de uma árvore no pomar das minhas angústias

Antes
Do eleitorado
Sou bem tratado e conservado
Mas venho por meio de uma folha branca sem rosto
Manifesto o meu cansaço e a vergonha que não se aposenta ao cúmulo desta estupidez
Que confundimos com Estado
Antes do eleitorado

Antes
Do eleitorado
Sou o que não preciso ser!
Pois, um dia precisei ser o que me obrigam ser hoje
Foi um pão a falta á minha mesa
Foi uma escola que no passado tanto desejei
Foi uma competência médica que no passado tanto quis para salvar a vida do meu pai!
Uma oportunidade de escolaridade àquela Angolana que hoje é prostituta
Ao mendigo entre as passarelas das misérias
Uma vida condigna aos poetas e aos demais fazedores da arte
E representantes culturais
Deste cúmulo

Antes
Do eleitorado
Não me peças pintar o dedo novamente, não me obriga dizer o viva!
Não me vesta as suas cores
Pois, já vivo vestido com as
Cores da fome
Dispenso o processo acelerado para a aquisição de um cartão eleitoral
Pois, ontem perdi aquela vaga de emprego pelo processo desacelerado para aquisição do bilhete de identidade
Não me engane mais meu irmão
Que Deus teve um dia de descanso para inventar o inferno

Antes
Do eleitorado
Seguem-se as promessas

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct