Brincar com palavras
Não é o que eu quero,
Pois nada que eu penso
É digno de ser dito a ti

E alem disso eu tenho esse medo,
De que minhas palavras
Não passem de reproduções,
Que haja em meu coração
Um novo canto que seja agradável a ti

Eu abro meus lábios
Pensando em louvar-te,
Mas vejo tua gloria
E nada consigo dizer

Palavras me faltam
Mas sobra a certeza
Que um Deus como tu
Não merece só parte de mim
Toma meu ser em tuas mãos,
Faz dele algo que seja agradável a ti

Pois sei que sem tua presença em mim
Nada sou, nada sou.
Sem tua graça
E sem teu perdão, nada sou
Pois sei que sem tua presença em mim
Nada sou, nada sou
Sem tua graça
E sem teu perdão, nada sou

Brincar com palavras
Não é o que eu quero,
Pois nada que eu penso
É digno de ser dito a ti

E alem disso eu tenho esse medo,
De que minhas palavras
Não passem de reproduções,
Que haja em meu coração
Um novo canto que seja agradável a ti

Eu abro meus lábios
Pensando em louvar-te,
Mas vejo tua gloria
E nada consigo dizer

Palavras me faltam
Mas sobra a certeza
Que um Deus como tu
Não merece só parte de mim
Toma meu ser em tuas mãos,
Faz dele algo que seja agradável a ti

Pois sei que sem tua presença em mim
Nada sou, nada sou.
Sem tua graça
E sem teu perdão, nada sou
Pois sei que sem tua presença em mim
Nada sou, nada sou
Sem tua graça
E sem teu perdão, nada sou

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct