Aconteceu! Agora é tarde pra deter!
Palavras de vergonha não mais têm o que perder, nem ao menos recuar.
No momento certo, ascender!

No anoitecer nada é o que parece ser.
Tudo se revela, anseios não se contêm.
De então romper toda forma de tensão de mal ou bem.

Há um outro eu no leme!
Há um outro alguém, insano!
Há um outro ser sem paz, que baila no além e quer mais!

Não mais conter! Não mais pensar!
Não mais conter! Não mais! Não mais!

Eu não quero me deter.
Eu não vou mais me entregar nas mãos do que não se entende.
Meu ver me trai, a certeza que cai.
No mais, não sei: Não mais sofrer!

Trevas! Chamas! Negros Dramas!
Trevas! Chamas! Mente Insana!

Não há mais lei que me impeça de sentir o que na teoria não se faz presente.
O gosto, enfim... Saciar o meu prazer. E evanescer.

Há um outro eu no leme!
Há um outro alguém, insano!
Há um outro ser sem paz, que baila no além!

Há um outro! Insano!
Invade o meu viver!
Insana condição! Me traz viver!

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct