Aguarela Fadista

Fernando Farinha

vistas 94

Meia-luz sombras bizarras
Um tom plangente e magoado
Atenção gemem guitarras
Silêncio canta-se o fado
Atenção gemem guitarras
Silêncio canta-se o fado

Nas toscas mesas de pinho
Xailes negros e samarras
Canjirões copos de vinho
Meia-luz sombras bizarras
Canjirões copos de vinho
Meia-luz sombras bizarras

A viela está dormindo
Um sono curto e pesado
A viela está dormindo
Um sono curto e pesado
E as guitarras vão carpindo
Um tom plangente e magoado
E as guitarras vão carpindo
Um tom plangente e magoado

Na taberna há burburinho
E a por fim ás algazarras
Alguém avisa baixinho
Atenção gemem guitarras
Alguém avisa baixinho
Atenção gemem guitarras

E a noite mãe da desgraça
Escurece mais um bocado
E a noite mãe da desgraça
Escurece mais um bocado
Como a dizer a quem passa
No silêncio canta-se o fado
Como a dizer a quem passa
Silêncio canta-se o fado.