Hoje não volto pra casa cedo
Virado de novo no fluxo desse frevo
E que eternize essa vida de rotineiro
Que hoje eu tô

Que nem Alma Perdida
Por essas ruas de Brasilia sem destino e sem juízo
A Lua ilumina o rolê dessa adrenalina
Loucos na matina, e deixa elas endoidar de novo

Escolhi viver meu desprazer
Nesse rolê até o amanhecer
E virado outra vez no clima dessa rotina
Fazer do meu desande vira poesia

E que as horas não voe depressa
Que o stress da semana se transforme em festa
Que o prazer com elas seja só o que me interessa
Que a vida me permita mais uma noite daquelas

Pronto pra mais uma, que as diversões de todas madrugadas
Nunca esteja em falta
Melhor que desfrutar essa vida de solteiro é eternizar
Cada rolê nessa quebrada parceiro

Hoje não volto pra casa cedo
Virado de novo no fluxo desse frevo
E que eternize essa vida de rotineiro
Que hoje eu tô

Que nem Alma Perdida
Por essas ruas de Brasilia sem destino e sem juízo
A Lua ilumina o rolê dessa adrenalina
Loucos na matina, e deixa elas endoidar de novo

Nada como viver um dia após o outro
Curar a nostalgia, chapar o coco

As garrafas vazias se resume essa noite
Nesse frevo golden e atração de hoje tem

Blunt de todos sabores, luzes de todas as cores
Bebidas e muitos amores, juntex no porta luva também

Mais uma vez tô sem lei, nessa rotina louca
Elas quase sem roupa com malicia na boca

Vivo no mundo da Lua, ando por ai como lunático na rua
Tô solteiro mas namorando essa loucura

E ai Wesley chega ai!
Traz mais Whisky e Amarula

Hoje não volto pra casa cedo
Virado de novo no fluxo desse frevo
E que eternize essa vida de rotineiro
Que hoje eu tô

Que nem Alma Perdida
Por essas ruas de Brasilia sem destino e sem juízo
A Lua ilumina o rolê dessa adrenalina
Loucos na matina, e deixa elas endoidar de novo

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct