Como é bom adormecer
Com a consciência tranquila
As chuteiras penduradas
Depois do dever cumprido
Despertar num mundo livre
E despoluído
Onde tudo é só amor
Coisas imateriais
Onde o medo não existe
Nem das reencarnações
Pois as purgações da terra
São pra se purificar
E se tornar ser abstrato
Imaterializavel
Até ser flor-luz que influi
Nas gerações

Sempre lutar pelas coisas que se acredita
Mas tem que ser luta bonita
De ideais comuns
Quem não for justo e honesto nas coisas que faz
Jamais será flor que flui
Pra viver na eterna paz
Jamais será luz que influi
Pra vida na eterna paz

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Leonilda Do Candeia / Martinho da Vila. Isn't this right? Let us know.