views 9

Bota Velha

Nitrovoid


Calço a minha bota velha e preta
Avalanches de suspiros nessa teia
Esculpidas em sereias de areia
Eu vou, eu vou

Visto as calças sujas finas entre pernas
Alfinetes divididos sob a mesa
As retinas se desviam sempre cegas
Eu sou, eu sou

Talvez o resto que ficou
Quem sabe o medo te levou
Um passo em falso e eu me vou
E posso ser o mesmo outra vez

Nos vestidos de serpentes com defeito
Cogumelos entupidos pelo avesso
A ressaca não passou, então mereço
Eu vou, eu vou

Esgotando meu viver em seios densos
Perdoados ou divinos imperfeitos
Vaidades discutidas sem certeza
Eu sou, eu sou...

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct