Fim da linha, muro do quintal
Cerca o corpo, barreira de sal
Eu sinto as presilhas, o peso das minhas trancas
Inverso presídio destinado
Ninguém entra e nem sai, ninguém entra e nem sai

Mas eu vou buscar
Há uma saída, de tudo que se sente pesa a mente
Faz um vendaval
Eterna rotina confinada, mas qual pecado cometi?

Num labirinto urbano, abandonado no meu ponto
Seguro mas não livre. Descaso dos meus planos

Desse jeito não para mais
Porta atrás de porta a falsa paz
E a ideologia? Tela que trás o medo
Testas franzidas aglomeradas que desfazem

Num labirinto urbano, abandonado no meu ponto
Seguro mas não livre. Descaso dos meus planos

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Guilherme Andrade / Luke Aguiar / Pedro Aguiar / Rodriguez Leal · This isn't the songwriter? Let us know.
Sent by Luke
Did you see an error in the lyrics? Send us your correction.