Uma ode ao que não é necessário
A sofisticação de inutilidades
Seguimos vivendo os dias, adaptando os planos
O jogo não começa agora, está valendo há muito tempo
Desde a primeira partida, campeonato longo
Gostamos de jogar com graça
E, sempre que dá,
De manter intactas as canelas dos outros
Necessidades desnecessárias

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct