vistas 120

O Guasca e a Roqueira

Xirú Missioneiro


Tô namorando uma magra
Nosso amor tá ferradito
Mas muitos já têm me dito
Que eu só vô me incomodá
Porque eu sou bagual e meio
E ela é fissurada em rock
Mas se ligou nos meus toque
Quero ver o que vai dá
Até as bóia que ela come
Das minha são diferente
Torrada e cachorro-quente
E um tal de xis bauru
Arrastei aquele outro dia
Levei pra comer lá em casa
Bago de touro lavrado
Ensopado de caracu

Come bago que é uma doida
Cabeça de ovelha e bucho
Despôs um mate gaúcho
Que é pra acomodar as lombriga
Tu não te agacha mocinha
Pra fuiá bóia pesada
Vai te esgualepá a buchada
Despôs tu estufa a barriga
Invês de mascá chiclete
Os quexo fica entretido
Mastiga um nervo cozido
E um soquete aferventado
Invés de escutá rock
Lá dos estados unidos
Traca nestes teus ouvido
Um bugio véio abagualado

Já trocou o tal de iogurte
Por uma guampa de coalhada
Com puxa-puxa e melado
Pão guerrudo com café
Mas às vezes ela recai
E eu noto que a moça pira
E proseia numa gíria
Que eu não sei o que que é
Pô meu que legal
Tua bombacha tá mais dez
Pô meu, oh pinta, vê se cai numa real
Segura o tchê, a onda é essa
A tua mina quer fumar
Pô meu, oh, pinta vou te levar pra um chamego
Mas tu te ajueita a granga pra ti te amasiar comigo
Tem que emborcar o teu servido em riba dos meus
Pelego

Outro dia ela inventou de me arrastar pra uma boate
E me fez dar uns pinote numa dança internacional
Vi uma luz de tudo cor igual a uma bexiga furada
Se vorteando pendurada num barulhão infernal
E eu mais à toa que um cusco
Abichado nas oreia
E um refrego que incandeia
Mas pra não perder a guria
Eu segui me chacoalhando
Com aquela moça maluca
Parecia uma égua xucra
Laçada pela virilha
Mas hoje a moça tá mudada
Parece que virou feitiço
Agarrou os tal de patin
E trocou pelo um petiço
Só quer andar no meu cuiudo
Não quer saber de motoca
Mandou seu namoradinho ir pastar e plantar
Mandioca
E se engatou nas grossura
Do bagual da bossoroca