Olhos Estranhos

Ana Sofia Varela

vistas 178

Os teus olhos são dos tais
Que só se encontram uma vez
Deus fez os teus não fez mais
Por ver o perigo que fez

Têm a cor do ciúme
Tão estranhamente anilada
Lindos como a madrugada
Etéreos como o perfume

Suaves como queixume
Da onda que se desfez
Levada pelas marés
E à praia não volta mais
Os teus olhos são dos tais
Que só se encontram uma vez

Mas vê-los a vez primeira
É ver a luz meiga e crua
Da lua quando flutua
No azul do céu altaneira
Teus olhos trazem cegueira
De amor e de embriaguez

Será por isso talvez
Que ao sabê-los tão fatais
Deus fez os teus não fez mais
Por ver o perigo que fez