Inicia sesión para activar tu suscripción y eliminar los anuncios

Iniciar sesión
visualizaciones de letras 14.392

Medo de Virar Galeto

Bezerra da Silva

Aí, malandragem!
Urubu com medo de levar um sapeca iá iá
Nunca mais pintou no lixão em samba
Se liga, é isso aí!

Olha que o coro tá comendo, o bicho tá pegando
Os governantes não se entendem, o negócio tá preto
E urubu não vem na terra pra pegar seu rango
Porque tá com medo de virar galeto

Olha que o coro tá comendo, o bicho tá pegando
Os governantes não se entendem, o negócio tá preto
E urubu não vem na terra pra pegar seu rango
Porque tá com medo de virar galeto

A moral e a decência vão perdendo o valor
Onde a violência tem um alto custo
E o justo e quem paga pelo pecador
Todo dinheiro gasto pelo homem
Comprando arma para a guerra que só traz a dor
Daria pra matar a fome de todo povo sofredor

Olha que o coro tá comendo, o bicho tá pegando
Os governantes não se entendem, o negócio tá preto
E urubu não vem na terra pra pegar seu rango
Porque tá com medo de virar galeto

A ambição desmedida é propulsora da guerra
E veja os humildes sem direito de defesa
Sem nada na mesa, sem teto, sem terra
Já os poderosos privilegiados
São sempre ajudados, há sempre um decreto
Mas quando chega a hora do pobre coitado
Cumpadre, é veto em cima de veto

Olha que o coro tá comendo, o bicho tá pegando (ih!)
Os governantes não se entendem, o negócio tá preto (São Bento)
E urubu não vem na terra pra pegar seu rango
Porque tá com medo de virar galeto

A moral e a decência vão perdendo o valor
Onde a violência tem um alto custo
E o justo e quem paga pelo pecador
Todo dinheiro gasto pelo homem
Comprando arma para a guerra que só traz a dor
Daria pra matar a fome de todo povo sofredor

Olha que o coro tá comendo, o bicho tá pegando
Os governantes não se entendem, o negócio tá preto
E urubu não vem na terra pra pegar seu rango
Porque tá com medo de virar galeto

A ambição desmedida é propulsora da guerra
E veja os humildes sem direito de defesa
Sem nada na mesa, sem teto, sem terra
Já os poderosos privilegiados
São sempre ajudados, há sempre um decreto
Mas quando chega a hora do pobre coitado
Cumpadre, é veto em cima de veto

Olha que o coro tá comendo, o bicho tá pegando (ih!)
Os governantes não se entendem, o negócio tá preto (é!)
E urubu não vem na terra pra pegar seu rango (sujou né!)
Porque tá com medo de virar galeto

Olha que o coro tá comendo, o bicho tá pegando
Os governantes não se entendem, o negócio tá preto
E urubu não vem na terra pra pegar seu rango
Porque tá com medo de virar galeto

Olha que o coro tá comendo, o bicho tá pegando
Os governantes não se entendem, o negócio tá preto (sujou)
E urubu não vem na terra pra pegar seu rango
Porque tá com medo de virar galeto

Agregar a la playlist Tamaño Cifrado Imprimir Corregir Enviar la traducción
Compuesta por: Luiz Grande / Barbeirinho Do Jacarezinho / Marquinhos Diniz. ¿Los datos están equivocados? Avísanos.

Comentários

Envie dúvidas, explicações e curiosidades sobre a letra

0 / 500

Faça parte  dessa comunidade 

Tire dúvidas sobre idiomas, interaja com outros fãs de Bezerra da Silva e vá além da letra da música.

Conheça o Letras Academy

Enviar para a central de dúvidas?

Dúvidas enviadas podem receber respostas de professores e alunos da plataforma.

Fixe este conteúdo com a aula:

0 / 500


Opções de seleção