Castelo Beats
Yeah-ah
Yeah-ah
Yeah-ah
Yeah-ah

Saí da escola, o sistema não educa
Saí das Batalhas, lá ninguém me escuta
Corro com minhas pernas, não com sua garupa
Desde os treze levo essa vida adulta
Na sua gang só desvio de conduta
Cantando mentira e fingir não ter culpa
Qual vai ser sua próxima desculpa?
Trouxe um curativo, a verdade machuca
Olha no meu olho e diz que não vê pureza
Mas cuidado onde vê beleza
Esse olhar sem rumo é a procura de um refúgio
E esse sorriso lindo é mecanismo de defesa
Desde Simões Filho city
Não vivo do seu palpite
E eu recuso seu feat
Se você estraga o beat
Minha preta não é sua bitch
Nem tudo aqui coincide
Homens de preto, sou MIB
Rua não é Assassin's Creed
Não quero ser claro pra clero
Em ondas sonoras sou Nero
Gostei do seu ice, me lembra seu nível
Que é abaixo de zero

Não quero falsos amores
Daltonismo pra essas cores
Me deixa quieto com minhas dores
Longe desses falsos rumores
Dessa inversão de valores
Desses trapstars amadores
Se minha coroa é de espinho
Não me ofereça suas flores

Também sou fonte da nascente
Mas quero que o rap acrescente
Não sei me fazer de inocente
Não discuto com quem não sente
Eu ouvi relatos recentes
E sério, eles mentem pra gente
Fala de arma no som
E não sabe o lado que descarrega o pente
Fake chora muito, eu vou te doar um lenço
Falo de coisas que eu não me convenço
E mesmo assim seu comentário eu dispenso
Pois o que eu sinto vai além do que eu penso
Não é à toa que até quando eu perco eu venço
Baby, eu sou frio, não espere algo intenso
Pois pra mim o clima nunca tá propenso
Entre a voz que nada fala e o grito do silêncio

Não quero falsos amores
Daltonismo pra essas cores
Me deixa quieto com minhas dores
Longe desses falsos rumores
Dessa inversão de valores
Desses trapstars amadores
Se minha coroa é de espinho
Não me ofereça suas flores

Mãe, é tudo por você, mas impossível não lembrar
O que a mente esquecer, a alma sempre vai guardar
Olho pra cima, pois minha força vem de lá
O Senhor é meu pastor e cash não me faltará
Deixa o sorriso ocultar e a lágrima purificar
Coisas que não se podem explicar
Tipo eu com doze anos pensando em mudar de vida
Com minha mãe desempregada e três filhos pra criar
Já fui bem subestimado
Muito mal interpretado
Mas sei que serei lembrado
Por isso sofro calado
Cuidado com quem 'cê chama de gang
Nem todos eles são da sua gangue
Falo isso, pois já vi o topo também
E a água que me deram lá tinha gosto de sangue

Não quero falsos amores
Daltonismo pra essas cores
Me deixa quieto com minhas dores
Longe desses falsos rumores
Dessa inversão de valores
Desses trapstars amadores
Se minha coroa é de espinho
Não me ofereça suas flores
Não quero falsos amores
Daltonismo pra essas cores
Me deixa quieto com minhas dores
Longe desses falsos rumores
Dessa inversão de valores
Desses trapstars amadores
Se minha coroa é de espinho
Não me ofereça suas flores

Já vi a morte no enquadro
Mas nunca corri com o errado
Aos treze saí do estado
Meu povo bem representado

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct