Toda aquela rude cruz
Eu, um dia, suportei por muito te amar
Toda glória Eu deixei
Para, como alguém comum, a Minha vida dar

Tudo isso que Eu fiz era para que o seu pecado
Fosse arremessado lá no mar do esquecimento
Queria fazer de ti a casa mais bela e linda
Onde Eu pudesse repousar

Mas você decidiu seguir os seus caminhos
E insistiu em me excluir de todo plano
Feliz estou por vê-lo hoje arrependido
Abrir a porta, me dizendo: - Pode entrar

Filho, hoje faço em ti morada, já reconstruí a casa
Que outrora foi vendida aos prazeres desse mundo
Vem pelo caminho estreito
Se cansares, tens meu ombro
O Perfeito Arquiteto veio em ti morar

Filho, hoje faço em ti morada, já reconstruí a casa
Que outrora foi vendida aos prazeres desse mundo
Vem pelo caminho estreito
Se cansares, tens meu ombro
O Perfeito Arquiteto veio em ti morar

Oh oh oh oh oh

Filho, já te reconstruí
Filho meu, Eu habito em Ti
Não importa por onde você andou
Nem mesmo o caminho que você trilhou sem mim
Do seu pecado não me lembro mais
O seu erro já ficou pra trás
Fiz tudo novo, tudo novo
Você é a casa onde Eu tenho o prazer em morar

Filho, hoje faço em ti morada, já reconstruí a casa
Que outrora foi vendida aos prazeres desse mundo
Vem pelo caminho estreito (Oh, vem!)
Se cansares, tens meu ombro
O Perfeito Arquiteto veio em ti morar

Filho, hoje faço em ti morada, já reconstruí a casa
Que outrora foi vendida aos prazeres desse mundo
Vem pelo caminho estreito
Se cansares, tens meu ombro
O Perfeito Arquiteto veio em ti morar

Oh Filho, habito em ti

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct