vistas 298
Foto del artista Clara Nunes

Candongueiro

Clara Nunes


Eu vou-me embora pra Minas Gerais agora
Eu vou pela estrada afora tocando meu candongueiro - oi
Eu sou de Angola, bisneto de quilombola
Não tive e não tenho escola, mas tenho meu candongueiro
No cativeiro, quando estava capiongo, meu avô cantava jongo pra
poder segurar - oi
A escravaria, quando ouvia o candongueiro, vinha logo pro terreiro para saracotear

Meu candongueiro bate jongo dia e noite
Só não bate quando o açoite quer mandar ele bater - oi
Também não bate quando seu dinheiro manda. Isso aqui não é
quitanda pra pagar e receber

Eu vou-me embora pra Minas Gerais agora
Eu vou pela estrada a fora tocando meu candongueiro - oi
Eu sou de Angola, bisneto de quilombola
Não tive e não tenho escola, mas tenho meu candongueiro
No cativeiro, quando estava capiongo, meu avô cantava jongo pra
poder segurar - oi
A escravaria, quando ouvia o candongueiro, vinha logo pro terreiro para saracotear

Meu candongueiro tem mania de demanda
Quem não é da minha banda, pode logo debandar - oi
Pra vir comigo tem que ser bom companheiro, ser sincero e
verdadeiro, pra poder me acompanhar

Eu vou-me embora pra Minas Gerais agora
Eu vou pela estrada a fora tocando meu candongueiro - oi
Eu sou de Angola, bisneto de quilombola
Não tive e não tenho escola, mas tenho meu candongueiro
No cativeiro, quando estava capiongo, meu avô cantava jongo pra
poder segurar - oi
A escravaria, quando ouvia o candongueiro, vinha logo pro terreiro para saracotear