Essa dor que a gente sente
Amargor envenenado
Essa dor que a gente sente
Essa dor bairronovense
Tá doendo em Santiago
Essa dor que a gente sente

Destroça, arranca, agarra, atiça a dor
Perdidas as balas vão voar
O medo, a vida, a lida, outra ferida a marca do pavor,
Projéteis ricochetear

Choveu bala ontem a tarde
sangue, lápis e papel
No desenho infantil
A morte é ruim e cai do céu

Destroça, arranca, agarra, atiça a dor
Perdidas as balas vão voar
O medo, a vida, a lida, outra ferida, a marca do pavor,
Projéteis ricochetear

Essa dor que a gente sente
Amargor envenenado
Essa dor que a gente sente
Essa dor bairronovense
Tá doendo em Santiago
Essa dor que a gente sente

Destroça, arranca, agarra, atiça a dor
Perdidas as balas vão voar
O medo, a vida, a lida, outra ferida, a marca do pavor
Projéteis ricochetear

Choveu bala ontem a tarde
sangue, lápis e papel
No desenho infantil
A morte é ruim e cai do céu

Essa dor que a gente sente
Amargor envenenado
Essa dor que a gente sente

Essa dor que a gente sente
Tá matando adoidado
Essa dor que a gente sente
Alvejando inocente
Essa dor que a gente sente
Nebulosa e pesada
Essa dor que a gente sente

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct