Corda de Segurança

G. Hoffman


Qualquer coisa que esteja ao meu alcance
Não consigo ter
Todo dia relembro cada lance
Mas não consigo ver
Cartas jogadas no chão
Todas caíram da mesa
Faces da minha ilusão
Me sinto uma fácil presa
Quem pode me preencher
Que não seja só com algodão?
Sou um boneco que o mundo não vê
Passeando de camburão
Sempre preso, encarcerado
Vejo as coisas da janela
Não saio ileso, estou machucado
E não curto a primavera.

Mas a partir de hoje faço força vou levantar
Todo peso dos ombros me disseram: pode tirar
Mesmo com meu tamanho ainda consigo colo
Existe um Deus de verdade o qual cantarei em cada solo.

Ele é minha força, minha corda de segurança
NEle tenho equilíbrio, nenhuma espuma me alcança.

No nome de Jesus eu encontrei a cura
E hoje canto como nova criatura.

Todas as coisas que estão ao meu alcance
Hoje já consigo ter
Todo dia vejo qualquer lance
Que queria ver.
Tenho as cartas na mão
E tudo em cima da mesa
Nada mais é ilusão
Tudo é uma linda surpresa.
Sou preenchido pelo viver
De quem me deu mais que o coração
Hoje tenho as mãos limpas
Por conta de cravos em outras mãos.
Estou liberto, aprovado
Perdoado de todo pecado
Curto a primavera, verão
outono, inverno, maravilhado.

E a partir de hoje tenho força para falar
De tudo que foi feito por mim e do novo homem que aqui está
Ainda com meu tamanho sei que tenho colo
Existe um Deus de verdade o qual cantarei em cada solo.

Ele é minha força, minha corda de segurança
NEle tenho equilíbrio, nenhuma espuma me alcança.

No nome de Jesus eu encontrei a cura
E hoje vivo como nova criatura.

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct