Bauroots, cidade paradoxo
Bauroots, falta água quando chove
Bauroots, Deus me ajuda me acode
Bauroots, pois alaga quando chove

Do outro lado
Do outro lado das nações
Existem barzinhos, butecos
Lugares tão bem frequentados
Que fazem a alegria da população
E não precisa ter doutorado
Pra curtir o nosso som
Geleia jutaí arrasando coração
Suingue na batida e o disco no refrão

Bauroots, cidade paradoxo
Bauroots, falta água quando chove
Bauroots, Deus me ajuda me acode
Bauroots, pois alaga quando chove

Não se sabe ao certo se é rua ou se é rio
Lancha ou busão
A água da a vida e também mata o cidadão
Deitado, largado
Do lado e do outro lado da festa
Que tem dia sim dia não

Cuidado com os maluco da cidade
Cuidado com o disco voador

Bauroots, cidade paradoxo
Bauroots, falta água quando chove
Bauroots, Deus me ajuda me acode
Bauroots, pois alaga quando chove

Sanduíche kaingang no meio do estado
Preto no branco
Presunto no queijo
Índios baurooz
Unindo as nações o limite é o céu
Não é não
Springfield brasileira
A cidade sem limites
Pra fome tem sanduíche
Bueiro, escândalo e rosbife
Mas é longe da capital

Longe da capital 40 graus
Longe da capital 40 graus

Bauru sem tomate é misto
Bauru sem tomate é misto
Bauru sem tomate é disco
Bauru sem tomate é disco
Bauru sem tomate é disco
Bauru sem tomate é disco

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Bruno Olgas / Caê Oliveira / Gustavo Lustosa / Vinícius Gálico / Yuri Ferreira · This isn't the songwriter? Let us know.
Sent by Caê
Did you see an error in the lyrics? Send us your correction.