Nada pode ser mais reciproco
Do que um cigarro queimando
A cada trago dado
Um trago a menos
E contando
Reflete a efemeridade e talvez
A cura para quem não quer procurá-la

O tempo de um cigarro
É o tempo que sobra
O tempo que não quer sobrar

Talvez ele apague e o maço esvazie
E daí?
Talvez o samba morra
Junto com o calor que mantem o cigarro aceso
E que o afaga
Mas antes de mais nada
O cigarro apaga

Nada pode ser mais reciproco
Do que um cigarro queimando
A cada trago dado
Um trago a menos
E contando
Reflete a efemeridade e talvez
A cura para quem não quer procurá-la

O tempo de um cigarro
É o tempo que sobra
O tempo que não quer sobrar

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Bruno Olgas / Caê Oliveira / Gustavo Lustosa / Vinícius Gálico / Yuri Ferreira · This isn't the songwriter? Let us know.
Sent by Caê
Did you see an error in the lyrics? Send us your correction.