Inicia sesión para activar tu suscripción y eliminar los anuncios

Iniciar sesión
visualizaciones de letras 1.652

Sudoeste

João Bosco

O vento deu no matagal e deu na cara dos cajás
No coqueiral, nas borboletas, azulão, nos curiós
Jaca manteiga, jaca mãe, no bambuzal, nas teias
Tristes do porão, caramanchão, capim navalha coração
Canavial, acorde de um acordeão lá do matão
Menina moça gavião, aluvião, anunciando anunciação
E o garnisé cortando os pulsos da manhã nesse quintal
E o vento deu na manga

O vento deu no matagal e deu na cara dos cajás
No coqueiral, nas borboletas, azulão, nos curiós
Jaca manteiga, jaca mãe, no bambuzal, nas teias
Tristes do porão, caramanchão, capim navalha coração
Canavial, acorde de um acordeão lá do matão
Menina moça gavião, aluvião, anunciando anunciação
E o garnisé cortando os pulsos da manhã nesse quintal
E o vento deu na manga

E o vento deu no mangueiral, na roupa branca do varal
No lodaçal, e deu na cara da ilusão, no temporal
Deu nas pegadas desse chão

E o vento deu no natural, deu no início de natal
Deu no olhar e deu na cara do luar, deu na paixão
De um galo doido no quintal

Agregar a la playlist Tamaño Cifrado Imprimir Corregir Enviar la traducción

Comentários

Envie dúvidas, explicações e curiosidades sobre a letra

0 / 500

Faça parte  dessa comunidade 

Tire dúvidas sobre idiomas, interaja com outros fãs de João Bosco e vá além da letra da música.

Conheça o Letras Academy

Enviar para a central de dúvidas?

Dúvidas enviadas podem receber respostas de professores e alunos da plataforma.

Fixe este conteúdo com a aula:

0 / 500


Opções de seleção