minha alma é a chuva
que cai feito um crime
por te ter tão turva

chuva que cobre-me
de charcos os olhos
vazados: escorrem rios
escondidos até a boca
vaga: garganta língua e
dentes vão procurar
a doce voz ensolarada
no céu o sal e o açúcar

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct