Nasci no garrão brasileiro, na alvorada de mil e setecentos
Fui crescendo rasgando horizontes, liberdade a cabresto nos tentos
Me fiz dono do próprio destino cavalgando no lombo dos ventos

Na garupa do frio do minuano forasteiro crioulo dos Andes
Demarquei a fronteira da pátria pelo rio Uruguai que se expande
A cavalo e a ponta de lança me adonei do meu próprio rio grande

Emponchado de verde amarelo, fiz do rubro virtude de guerra
Fui semeando bravura e coragem das missões ao lombo da serra
Me fiz guapo gaúcho de raça o centauro monarca da terra

Com as rédeas do pago na mão conduzi com firmeza minha gente
Repontei os caranchos pra fora colhi fruto da minha semente
Alastrei o meu chão brasileiro para ser o maior continente

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: João Pantaleão Leite / Luiz Carlos Lanfredi · This isn't the songwriter? Let us know.
Sent by Jocelio
Did you see an error in the lyrics? Send us your correction.