Esquizofrenia e depressão refletem sobre a vida
E as nóia da cabeça martelando em minha mente o que há de pior
Me pego escrevendo sobre a violência ao meu redor

Gritaria fudida no andar de cima, achei que ia cair a laje de tanta trepidação
Autoridade do pai e o desespero da filha. Que raiva do caralho

Até aonde vão os nossos traumas, nossos medos, que resultam em omissão?
Qual a sua posição? Qual a sua decisão?

Tu manda e desmanda e eu sou um imbecil revoltado, descrente, perdido na vida
Conceitos diferentes do que é respeito, nunca demos jeito, nunca refletimos
Sobre a maneira que nos tratamos e encaramos o errado e o certo
A quem pertence a nossa intimidade, senão, a nós mesmos?
A sua autoridade existe desde o início da nossa história

Batendo as portas, socando as paredes, gritando e ameaçando a minha saúde mental
A paz fugiu de casa e não deixou recado, já o ódio, legado, eu me sinto mal
Me sinto coagido a obedecer calado. Me sinto fudido, com medo e humilhado

Que porra é essa de obediência? Tua intolerância é fruto da carência de
Uma infância perturbada em meio a toda a merda dessa sociedade
Moralista e toda errada, aonde o ódio e o egoísmo ditam a verdade
Desde o início da nossa história

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct