Não me julgo violento;
Sempre exorcizo a culpa.

Tenho berço e fino trato, mas
não peço desculpas.

Abram as portas do convento,
Libertem logo as putas

Já embalei mais um contrato, então :
Cala essa boca e chupa!

Que aqui que manda sou eu
Que aqui que manda sou eu
Não existe santo pra te salvar

E da sujeira toda da boca do lixo ninguém pode se limpar !


Sou bem mais do que aparento, mas
Não fico dando sopa,

Esse é o meu talento nato e eu sou,
Eu sou o rei da boca,

Abram as portas do convento,
Eu amo qualquer puta

Já embalei mais um contrato, então:
Ajoelha e chupa!

Que aqui quem manda sou eu
Que aqui quem manda sou eu
Não existe santo pra te ajudar

E da sujeira toda da boca do lixo ninguém pode se limpar !

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Adalberto Rabelo Filho / Tatá Aeroplano / Thadeu Meneghini. Isn't this right? Let us know.