Não me faço presente,
me faço passado;

dar-te-ei o futuro
quando já tiver gasto.

não vivo o presente,
vivo ausente;

trago na alma silente
o peso exato dos sonhos

Sentirei saudades?
Já não sei.

Só sei que eu ando por aí
levando o rei na barriga
Deixo as migalhas aos urubus
e o coração às formigas.

Que elas façam bom proveito!!!!!

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct