Nas noites infinitas que só trazem pesadelos
Pra uma mente ingênua que não sabe entender
Levam para um lugar distante
Enfrentando o desconhecido

Ao fechar os olhos, num penhasco se encontrou
Á espera do dragão, que sempre perturbou
Um juramento pela vida inteira
Matar o dragão e se libertar

Das nuvens escuras, surgiu um clarão
Não era a chuva e nem um trovão
Mas sua aldeia era a direção
Fogo, trevas, morte, destruição

Como em seus sonhos, agora real
Inferno e morte, a paisagem final
Em sua alma e em seu coração
O ódio forjou o matador de dragão

Em busca do dragão, que vai o libertar
Dos vales sombrios, ele sai à caçar
Em busca do dragão, que vai o libertar
Nas noites sombrias, ele sai à caçar

Mas foi na batalha com mais um dragão
E viu que em seus sonhos estava a salvação
A busca terminou, frente a frente com o mal
Enigmas da noite, está o seu final

Olhando as estrelas, com sangue nas mãos
Sua espada enfrentou os perigos, venceu a destruição
Por onde ele andou, travou grandes batalhas
Por pântanos escuros, cavernas e muralhas

Enfim seu destino, foi quem lhe mostrou
Que o ódio tomou, o seu coração
Os deuses lhe deram uma grande missão
Está entre os bravos, vingou seus irmãos

Em busca do dragão, que vai o libertar
Nas noites sombrias, ele sai à caçar
Enfrentou dragão, que vai o libertar
No céu entre as estrelas, sua alma agora estará

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct