Em uma manhã, distante do Sol
A neblina traz um grande navio
Com velas negras e um cheiro de morte
Exalando um clima sombrio

Mas o jovem queria algo mais
E subiu a bordo pra espionar
Encontrando um diário antigo
Curioso, começa a folhear

Seu destino é o mar
Seu destino é o mar

Desdobrando uma história que acaba de ler
Uma força estranha faz adormecer
Lendas malditas, sangue ao mar
Crueldade e morte, pra todo lugar

E os ventos são fortes, e as nuvens sombrias
A chuva e o frio me fazem companhia
Nessa minha prisão, em meio ao mar
Conduz meus pecados, vou ter de pagar

Vultos começam a me rodear
A passagem pra morte estou a esperar
Nessa história descrita, procuro encontrar
Sair deste pesadelo e me libertar

Não vai mais voltar
Não vai mais voltar

Tempestades foram e voltaram e eis aqui o escolhido
Vagará eternamente sobre os mares com sua tripulação fantasma
Serás o medo no coração dos fracos
E trará o alívio com a morte ao coração dos aflitos

Não!

Por sua ganância, terá de pagar
Uma alma dos mares, eternamente a vagar
Caia de joelhos e reze por alguém
Pois sua alma é perdida, e vagará no além

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct