Fez-se o tumulto
E a desinformação
Daí surgiu a oportunidade
Se instala o medo
E a insensatez
Que não aflige quem tem muro e grade

Quando alguém vier bater
A sua porta a noite
E não tiver a quem recorrer
Como será?

Quando o discurso
É posto em ação
Daí talvez já seja muito tarde
No ponto cego
O grito é em vão
A vida tem suas fatalidades

Quando alguém vier bater
A sua porta a noite
E não tiver a quem recorrer
Como será?

Cegando o bairro e o estado
Cegos de cima a baixo
Incentivando a privada em detrimento de todos
Uma cagada liberal
Imediatista imoral
O fascismo informal
Noite infértil, escura, longa e fria

O grito é em vão

Os absurdos
Em meio ao apagão
A quem foi dada legitimidade?
Cegos e surdos
Em meio ao apagão
A vida tem suas fatalidades
Batendo a sua porta
Em meio a escuridão
Ninguém ouve ou vê

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Marcão Melloni / Ric Mastria / Rodrigo Lima · This isn't the songwriter? Let us know.
Sent by Porto
Did you see an error in the lyrics? Send us your correction.