Bakongo (part. Yannick Afroman, Sam Mangwana, Socorro, Os Tuneza)

Kyaku Kyadaff


Malongi ya mwana etu Yannick Ngombo
[?]
Antes eu me escondia
Antes eu me embarrava
Eu tinha vergonha, eu era complexado
Mas quando me perguntam se eu sou da onde
Com todo orgulho eu respondo a sorrir
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo

Assim éramos chamados
De tanto complexo, até hoje muitos são embarrados!
Conheço isso desde puto
Ainda era bem miúdo (pequeno)
Uns até só pelo nome (Vemba)
O sotaque já diz tudo
Mas você lhe pergunta se ele é bakongo
Pra te responder bué de voltas
Ah, porque não, sou de cá! Meus pais é que são de lá
Nunca fujas da tua origem
Não tenha vergonha de onde saíste

Discriminados até hoje, a perseguição continua! (continua!)
No bairro, no trabalho, no Facebook ou na rua (é todos os dias!)
Mas com a cabeça erguida continuamos em frente
Todo mundo sabe que os Bakongos são inteligentes
Nós não nos deixamos, mentalidade revú
'Tamos em todas áreas, já nascemos vijús
Negócio é conosco, negócio é conosco, bakongos gostam de kumbú

Antes eu me escondia
Antes eu me embarrava
Eu tinha vergonha, eu era complexado
Mas quando me perguntam se eu sou da onde
Com todo orgulho eu respondo a sorrir
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo

Mono nkongo yee
Mono I mosy Uige-êê
Mono I mosy Zaire-êê
Mono I mwana Cabinda-êê
[?]
Kiese ye nkiese-êê (nkiese kwa yetue-êê)
Eu sou Bakongo, uê! (tem que ser assim!)
[?]

Eu sou o Ngombo
Bakongo do Makela, do zombo
Fim do preconceito
Eu vi muitos Bakongos com orgulho a baterem no peito (peito)
Bakongos 'tão na moda, conquistamos o respeito
Uige, Cabinda, Zaire (yetu mu yetue-êê)

Antes eu me escondia
Antes eu me embarrava
Eu tinha vergonha, eu era complexado
Mas quando me perguntam se eu sou da onde
Com todo orgulho eu respondo a sorrir
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo
Eu sou Bakongo, Bakongo, Bakongo

Tem que acabar com essa coisa de tribalismo
Porque eu não toco neste, porque é do sul
Eu não vou com aquele, porque é do norte
O importante nesta terra é ser Angolano
De Cabinda ao Cunene, do mar ao leste, todos!
E qual é terreno que sobrou aí?

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct