Ai de mim
Que vivo sem ter ninguém
Porque a demora se agora
Um homem me cai tão bem
Não vejo nenhum porque
Não sou exigente mas
Há requisitos por preencher
Não quero um Zé qualquer
Se agarram o primeiro por vão desespero
Parece que estão no cio
Não é bem do meu feitio
E sendo assim, confesso a vocês o que eu quero pra mim

Primeiramente, beleza é essencial
Quem isso desmente é careca, é sem dente
A procura de um peitoral
Ninguém deve merecer
Não quero dar luz, leite e colo
A um belo pestinha et
Meu genes desapontar
Um rosto em conflito
Só serve pro circo
Vocês vão me desculpar
Que pouca lembrança a minha
O homem descrito combina com estria
E com pé de galinha

Sinceridade
Dinheiro ele tem que ter
Minha querida não mente
Pois ser indigente não deve ser sonho seu
Contar troco pra comprar pão
Ir vivendo pra cima e pra baixo
Agüentando os odores da lotação
Prefiro enxergar Paris
Viver na Alemanha
As férias na Espanha
Assim se consegue paz
Com cinco estrelas ou mais
Assim eu compro a alegria
E deixo a tristeza pra trás

Cá pra nós
Mulher tem que ter poder
Pois na vida moderna
Viver subalterna foi o que ficou pra trás
Um século dois ou mais
Viver nas cavernas
Puxar meu cabelo
Só pode ser retrocesso
Pois quando eu quiser eu peço
Meu deus que besteira
Pois uma coleira
Nunca maltratou ninguém
E se ele for infeliz
Eu marco com ferro e com fogo
Que é pra deixar cicatriz

Muito bem
É tudo que quero e sei
Mas quando o cara se faz relevante
Eu descubro que ele é gay
Não é bem o meu Romeu
Eu devia ter visto que ele se depila
Bem mais que eu
Meu deus me ajuda aqui
Talvez exagero em tanta exigência
Não venha a me convir
Umas coisas até entendo
Mas não passo o domingo
Cerveja, cozinha, sofá e Flamengo

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct