Negras, pérpetuas sinfonias do obscuro
que tornam as almas tão presentes no antro impuro
tornando o fogo a razão para o prazer
que os gozos obscuros dos desejos
em ventos traz...

sarau...

vampiros que alimentam da inocência
ao mais profano dos mortais
subestimam a orgia em seus encantos
gentis, tão insanos fico em sombras a observar
o ínicio deste encontro que em sangue se esvai

sarau...

danças em sombras
dos véus que cobrem o corpo
da deusa infame de sede carnal
planta em seus seios de luxúrias terrenas
em negras orgias os excrenebtis derramam...

em sangue...

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct