A noite engatilha uma arma
O medo sorri, se alegra e bate palmas
corpos nus, entrechocados em folhas de jornais
pânico, terror, se aproximam mais
Adormecido pra sempre pode ser ao amanhecer
os pombos se foram então o que fazer?
A dor, está, na alma do estômago
tomando chicotadas, vivendo ao abandono
derretendo raiva a própria flor da pele
julgamentos, injustiças a toda hora se repetem
O tópico paciência já está se esgotando
muitos olhos se refrescam, muitos estão queimando!

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct