Photo of the artist Surra

Escorrendo Pelo Ralo

Surra


Um mundo perigoso e surdo
Não escuta a juventude
Ignora o crescimento
Da distância ideológica entre as gerações
A mente jovem guarda a chave para a saída
Minha voz não vai ser calada

Quieta e sorrateira, uma doença em silêncio
E não se fala sobre ela e assim tiramos nossas próprias vidas
E traz à superfície o mesmo problema desde sempre
Minha voz não vai ser calada

O cansaço toma conta, nosso ódio ainda grita
Trabalhar nesse sistema é aceitar a escravidão
Nas suas diversas formas, toda vez que eu me lembro disso
Eu vejo a minha vida

Escorrendo pelo Ralo

Fúteis, fáceis eu corto conexão
Longe da sua teia, longe do radar da cooptação
Do lado obscuro, esquecido surgiu iluminação
Ofusca e cega a morte
E aí então nossa fuga

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Guilherme Elias / Leeo Mesquita / Victor Miranda · This isn't the songwriter? Let us know.
Sent by yas
Did you see an error in the lyrics? Send us your correction.