Algemas
(refrão)
O pedaço do inferno é aqui onde estou
Sobreviver dentro do mundo, muito sofrimento foi o que restou
O pedaço do inferno é aqui onde estou
Liberdade nunca mais, nunca mais voltou (2x)

Algemas nos punhos, cadeados nas selas eu sou mais um irmão que sente o amargo do veneno atrás da janela, o drama das cicatrizes que estão a fechar, porra eu já nem sei o que fazer o que pensar, a irá cresce a cada dia aqui nesse lugar.
A liberdade perdida há muito tempo atrás, eu não estaria aqui se tivesse ouvido meus pais. Não sei como esta o mundo ai fora, sinto saudades da família, principalmente da minha esposa, que agonia, da minha quebrada que já nem me lembro mais, tem muitas tretas que ficaram pra trás.
Quase toda noite eu sonho estando em casa, pra mim se tornou um pesadelo, que nunca acaba, mais eu vou tocando a bola pra frente, um bom comportamento faz me garantir o futuro diferente, decente. Vou levantar a cabeça e tentar esquecer, caralho a três meses que ninguém da minha família vem me ver, até a vagabunda em quem eu confiava, me abandonou, quando eu mais precisei de tempo a cachorra me tirou.
Nossa eu ainda tenho dois terços da pena pra cumprir, a neorose, a conspiração, a rotina dura, cabulosa, mais não vejo à hora de sair daqui, eu sempre levo meus pensamentos á Deus que olhe este filho teu, que alguns meses atrás a minha liberdade abusiva vendeu, mais a minha vida sempre esteve em questão: cadeia ou caixão?
O mundo do crime não, não, não, não, me oferece nenhuma outra opção.
(Refrão 2x)
Eu sei que o tempo de infância jamais voltará, o futebol no campo empoeirado na favela, o sonho de ser um bom jogador no futuro, de tirar minha família desse obscuro, mais o sistema, o sistema foi filho da puta e cruel, me jogou no banco dos réus, estou sentindo o amargo do ferro, o veneno é foda, e me faz viajar no silêncio da madrugada, de castigo numa cela suja e molhada, me lembro das tretas passadas, da minha primeira carreta roubada, mas aqui neste inferno a todo momento eu penso em fugir, não sei se vou conseguir, estou louco pra sair fora daqui, só preciso de uma oportunidade, pra ganhar esse mundão e sair fora, em busca da liberdade, só não posso vacilar e cair na serpentina, se não eles atiram em mim e arregaçam com aminha vida.
Hoje é domingo dia de visita vou esperar alguém me trazer notícias, graças á Deus alguém da minha família apareceu, meu irmão caçula Matheus: "Poxa, aí doido, as coisas ta ruim lá em casa, o Marcelo ta desempregado há três meses, a mãe ta doente, entendeu nem sabe o que ela tem." Mas para mim não só veio notícia ruim, também veio notícia boa, fiquei sabendo que os camaradas meus gravaram um cd e agora tão de boa.
É foda, já faz mil anos que estou guardado na papuda, Deus só a ele eu peço ajuda, no inferno de sentimentos, lembranças e revoltas, jogado numa cela suja, imunda de bosta, só peço a Deus que meu filho não venha desfrutar do sofrimento que estou passando pra ele, pra ser sincero, eu nem sei quem lá fora em quem sou eu, minha confiança e o caráter para o sistema simplesmente desapareceu.
(Refrão 2x)

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct