Foto del artista Boletos Antiaderentes

O Amor É Uma Mentira

Boletos Antiaderentes


Na filosofia e na poesia
Até na ciência (oh, meu Deus, que indecência!)
O bicho homem tenta encontrá-lo
Não consegue, então tenta matá-lo (ou muda-lo)
Nesse desespero de entender
O que faz seu coração bater
O bicho homem põe-se a procurar
(Mas nem sabe onde começar)

Procurado: Vivo ou morto
Em toda esquina
Em novelas e porta-retratos
Em vão!
(O retrato falado tá falsificado)

Se quiser procurar, cê encontra uma pista
Na faísca da brasa que acende o cigarro
Na hesitação que antecede um beijo ou abraço
No acaso e no desdém
Ou no litrão recém vomitado

O amor é uma mentira

Nesse desespero de entender
O que faz seu coração bater
O bicho homem põe-se a procurar
(Mas nem sabe onde começar)

Procurado: Vivo ou morto
Em toda esquina
Em novelas e porta-retratos
Em vão!
(O retrato falado tá falsificado)

Então, por acaso, se o ver por aí
Mande minhas lembranças e um sincero
Eu te quero no abismo do inferno

O amor é uma mentira