Photo of the artist Jair Naves

Maria Lúcia, Santa Cecília e Eu

Jair Naves


Você sabe
tão bem quanto eu
ninguém pode
dar amor se nunca o recebeu
Ah, tão sem jeito
Ah, tão sem jeito
Ah, tão ruim

E é frustrante
não poder mostrar
como eu me sinto
por receio de te afugentar
Ah, tão sem jeito
Ah, tão sem jeito
Ah, tão ruim

Ontem eu adoeci de tão preocupado
envolto em um suor espesso e gelado
me sentindo ingênuo
e despreparado
para lidar com o mundo lá fora

Maria Lúcia riu:
"filho, você só precisa
do seu violão
e da sua imagem de Santa Cecília
para ser alguém na vida,
para honrar a sua família,
para me deixar orgulhosa"

E o quanto isso me acalma
você nem desconfia
Meu porto seguro,
minha mãe, minha pessoa preferida
Então que eu seja alguém na vida,
que eu honre a minha família,
que eu a deixe orgulhosa

Pois eu te digo que o meu maior temor
é que quando a minha mãe se for
ela vá intranqüila,
sem a sensação
de partir com a sua missão cumprida

Com o tempo, eu criei
meu próprio conceito de Deus
o que talvez me torne
um tipo raro e estranho de ateu
Ah, tão sem jeito
ah, tão sem jeito
mas assim que é pra mim

O que eu busco é alguma garantia
de que existe algo além dessa vida,
de que a morte não é tão definitiva
e sim uma breve despedida

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct