Mata Ciliar

Julio Caldas


Seguindo o curso rio, olhando a mata ciliar
No olho d’agua bebe a onça, canta alto o sabiá
Nos galhos da aroeira, palmeira e jequitibá

Nas margens capim baixo, o sol sempre a brilha
Fauna e flora florescendo, aqui em todo lugar
Unificando a beleza da cadeia alimentar

Tenha cuidado minha gente pra nascente não secar
Onde os bichos matam a sede, os índios a se banhar
Na corredeira, ribeirão, riachinho a desaguar

Cadeia, cadeia alimentar
Cadeia, pra quem não preservar

Cadê a, mata ciliar, cadeia pra quem não conservar

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct