Photo of the artist Nilton Ferreira

Pra Carregar a Querência

Nilton Ferreira


Trago na alma a pericia
Para 'fazer' meus cavalos,
Conheço o vento que sopra
E a hora buena pra um pealo.

Pede benção e se estira
E devereda embuçalo,
Já me vejo com uma linda
Na anca no meu cavalo.
Já me vejo com uma linda
Na anca no meu cavalo.

Foi dom antonio trindade
Que me entrego o tostado,
Flor de potro oriental
De sangue muito afamado.

Do maulo se fez cavalo
Batizado temporal
Um flete com toda estampa
Pra um basto de general.
Um flete com toda estampa
Pra um basto de general.

Mouros, rosilhos, gateados
Quantos pêlos, quantas marcas,
Que sovei garras domando
Nesse destino monarca.

Fiz cavalo pras estâncias
De trompa e cruza por cima
De laça boi campo a fora
E doce pro andar da china.
De laça boi campo a fora
E doce pro andar da china.

Que lida bruta parceiro
Que eu não troco por nada,
Carcuno que vim pro mundo
Pra lidar com a cavalhada.

O vicio domina o indio
Que tem coragem e paciência,
Espalhei meus bem domados
Pra carregar a querência.
Espalhei meus bem domados
Pra carregar a querência.

Que lida bruta parceiro
Que eu não troco por nada,
Carcuno que vim pro mundo
Pra lidar com a cavalhada.

O vicio domina o indio
Que tem coragem e paciência,
Espalhei meus bem domados
Pra carregar a querência.

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct