Paz liberdade respeito com meu povo é só preciso um caderno uma caneta um bandolim um palheta musicalidade de expressar o lado oprimido gritar é só preciso isso para libertar a mente do cotidiano Matrix, da ilusão de um mundo de elite, da realidade futura ao mundo de tortura aqueles que não lutarem sofrerão a desgraça de uma nação o ódio e a fome a poluição dominarão os extremos sofreremos com o mal se não lutarmos pelos nossos ideais, amor paz liberdade honra dignidade e alguns conceitos a mais fazem de nos perfeitos lutadores guerreiros vencedores de confrontos ao encontro da janela da vida, roubada, escravizada, perdida, a nós devida. Eu quero os meus direitos, liberdade, amor e respeito, pra lutar e reinvidicar pelo meu povo sou mais um preto lutador e louco, rebelde maldito! Mordido que o mundo vai mudar, liberdade do povo do gueto conquistar, liberdade do povo do gueto conquistar.

Refrão:
Venha construir
A liberade do meu povo eu consegui
Com toda força nós iremos resistir
Quem sabe a paz nos brindará
Com amor

As portas vão se abrir, não tem como impedir, que estoure o lacre do cadeado da janela da vida, na pressão eu vejo a saída pra libertar o mundo da escuridão impreensão e falta de amor, fazem do globo uma geleira de dor, mas fugir desse absurdo não dá, estou de cara, pronto pra lutar, revolucionar, gritar, protestar na música a conduta que os governantes tomam errada contra o maldito sofrido povo, continuam as risadas, as magoas os lamentos, subindo e decolando ao relento, o povo continua sofrendo, assim já não dá, vem gritar, pro ringue lutar, protestar a força da miséria perante a nação, o ódio do povo ao coração dispara ao relembrar as mágoas passadas o pouco que fizeram por nada, da miséria contida na Terra, da destruição das guerras, da vida na merda, o que há com o globo? O mundo ta louco? Vejo só sufoco, negro dá o troco, venha lutar contra o absurdo desse mundo injusto, vem lutar pelo um futuro não "brúsculo", venha lutar pela liberdade venha lutar pela luz da paz da igualdade, a luz da paz da igualdade, aos guetos e as favelas, liberdade, liberdade meu povo, paz! E igualdade favela!

Refrão:
Venha construir
A liberadde do meu povo eu consegui
Com toda força nós iremos resistir
Quem sabe a paz nos brindará
Com amor

Transmitindo paz e amor nos torna seres celestiais desiguais imortais na arte de viver, é um dom aprende com seu erro, não ignorar um conselho, ser feliz sem ódio, abraçar irmãos no pódio, correr em campos verdes, ultrapassar as paredes, viver livremente de cabeça erguida, contente com a vida, é um dom, cantar um tributo aos guerreiros revolucionários que lutaram por nosso povo nos séculos passados: Isidoro, Lucas, Pedro Gomes, Manoel Balaio, Anbrósio, Gangasumba, João Cãndido, Maraquima Ghandi, Abraão, Moisés, Isaque, Jacó, Zumbi, guerreiros revolucionários que lutaram pela libertação da massa populacional.

Refrão:
Venha construir
A liberadde do meu povo eu consegui
Com toda força nós iremos resistir
Quem sabe a paz nos brindará
Com amor

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct