Nas costas da minha mão
Lembrete apagado, um borrão
Conselho e também confissão: Eu não posso mais errar

Basta viver o suficiente
E todo mundo de algo se arrepende
Você mesmo se repreende
Eu não posso mais errar

Repousa quieta no meu peito e deixa o choro vir
Repousa quieta no meu peito, nada mais vai te afligir

Eu peço à minha consciência
Que insista na mesma advertência
Pelo resto da minha existência
Eu não posso mais errar

Repousa quieta no meu peito e deixa o choro vir
Repousa quieta no meu peito e deixa o sono vir
Repousa quieta no meu peito, nada mais vai te afligir

Tanta afobação
Tamanha inquietação

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct