Balanço do Vento

Julinho


Essa viola já foi árvore
Já balançou com o vento
Foi pouso de boiadeiro
E hoje é um lindo instrumento

Foi nascida lá no mato
E criada no relento
Hoje vive na cidade
Demonstrando seu talento

Viola no meu passado
Na sua sombra dormi
O seu perfume gostoso
Quantas vezes eu senti

Viola seus lindos galhos
Foram pouso da juriti
Me despertava cedinho
O cantador bem-te-vi

Viola por sua causa
Quantas vezes eu chorei
Quantas noites no sereno
O seu corpinho abracei

Viola por seu ponteado
Quanto pranto derramei
Com seu jeito de mocinha
Do sertão tu és a rainha
Não pude ser o seu rei

Viola as suas cordas
Quando tocam me arrepia
Nas mãos de outros violeiros
Que te aperta e judia

Viola o meu ciúme
Por você virou mania
Se eu te vejo em outros braços
Eu sinto grande agonia

Viola eu não me conformo
Com a evolução do tempo
Pois transformaram você
De árvore para instrumento

Viola por causa disso
É grande o meu sofrimento
Porque seus galhos floridos
Não sai do meu pensamento
Porque seus galhos floridos
Não sai do meu pensamento

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Cidão Carreiro / Dirceu Melecardi. Isn't this right? Let us know.