Menino Imortal

Julinho


Com meu caminhão lotado
Eu saí lá de Goiás
Com destino a São Paulo

Carregado de cereais
Em uma estrada deserta
Era meia-noite ou mais

O meu caminhão quebrou
Não girava o motor
Travou as rodas de trás

Não tinha ninguém por perto
Para me socorrer
De repente um menino

Chegou sem eu perceber
Consertou meu caminhão
Quando fui lhe agradecer

Enfiei a mão na algibeira
Tirei minha carteira
Ele não quis receber

O menino então me disse
O senhor não me conhece
Mas sabe da minha história

Por isso nunca me esquece
Quanto mais o tempo passa
Mais a minha fama cresce

No rádio e no cinema
Na cidade ou na fazenda
Minha história permanece

Eu não aceito dinheiro
Pode guardar a carteira
Quem tem eu no coração

Nunca enfrenta barreira
Quando você for fazer
Sua prece costumeira

Reze em minha intenção
Dedique uma oração
Ao menino da porteira

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Cidão Carreiro / Sebastião Figueiredo. Isn't this right? Let us know.