views 1

A Raiz Que Brota do Canto

Marco Aurélio Vasconcellos


É muito antigo meu canto
Bem mais antigo que eu
Pois todo verso que planto
Veio em mim, mas não é meu

Toda raiz foi semente
Que foi raiz por sua vez
E o rio que forma a vertente
De uma vertente se fez

No meu violão a madeira
Sabe do canto das aves
Já foi ninho de forneira
Tem no sabiá a plumagem

Por isso canto e cantando
Eu trago em mim muitos mais
Nas rudes vozes do campo
O saber dos ancestrais

Gente do sul de outro tempo
De fortins, de guerras e lenços
De coplas que vem no vento
Pra dar sentido ao que penso

Submit Translation Add to playlist Size Tab Print Correct
Written by: Alessandro Gonçalves / Martim César Gonçalves. Isn't this right? Let us know.